Quatorze personalidades do primeiríssimo time da vida pública paranaense serão amplamente entrevistadas por jornalistas muito conhecidos da terra, e gente de áreas como o Direito, para um livro que tem data marcada para ser lançado: 2017, um ano antes das eleições de 2018. E mais curioso é o nome que levará – “Encontros do Araguaia”, com subtítulo provisório – “a história de políticos paranaenses segundo eles mesmos”.

O livro terá edição de Marleth Silva, e entre os entrevistadores já convidados cito Fábio Campana e Celso Nascimento, além do advogado José Lucio Glomb, ex-presidente da OAB-PR e presidente do Instituto dos Advogados do Paraná.

As entrevistas começarão na segunda semana de janeiro de 2017.

COORDENAÇÃO

Na qualidade de coordenador da edição, posso garantir: a ideia é fazer um livro referencial, imprescindível para quando as gerações de hoje e as de amanhã quiserem conhecer com detalhe. A ideia garantir entrevistas sem limitações e vetos a perguntas.

OS ESCOLHIDOS

Se alguém tem dúvidas de que esse empreendimento editorial será, ele mesmo, histórico, basta que se observe o critério que dita a escolha dos entrevistados: são personalidades de contribuição inegável, nomes conhecidos em todo o Paraná. Goste-se ou não deles. Dispensam maiores apresentações, são auto apresentáveis.

PRIMEIRO TIME

A relação é realmente impressionante, contém o “creme” da moderna história do Paraná: Euclides Scalco, Paulo Pimentel, Jaime Lerner, René Dotti, João Elísio Ferraz de Campos, Roberto Requião de Mello e Silva, Álvaro Dias, Osmar Dias, Cida Borghetti, Cassio Taniguchi, Emilio Gomes, Flavio Arns, Eduardo Rocha Virmond, Ivo Simas Moreira.

O NOME

Por quê “Encontros do Araguaia”? Simplesmente porque as entrevistas serão no edifício Rio Araguaia, na Avenida Sete de Setembro. E esse foi o primitivo nome de projeto semelhante que eu e Fábio Campana tentamos desenvolver há 15 anos. Foi para frente desta vez, “Encontros do Araguaia” significa compromisso com a história.

O tom de provocação, que lembra guerrilha do Rio Araguaia, tem mesmo esse objetivo: chamar atenção.

Fonte: Diário Industria e Comércio