Todo mundo sabe que em um ambiente com muitas pessoas podam surgir divergências com a temperatura no ambiente. Mas, nem todos têm conhecimento dos direitos que a legislação garante para os trabalhadores com relação a isto. A norma regulamentadora 17, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), prevê diversas regras que precisam ser seguidas no ambiente de trabalho para garantir as condições adequadas.

A NR 17, do Ministério do Trabalho e Emprego, determina que a temperatura do ambiente de trabalho em que se exige solicitação intelectual e atenção constantes, tais como salas de controle, escritórios, laboratórios, etc., deve ficar entre 20 e 23ºC e a umidade relativa do ar não pode ser menor do que 40%. Já a ISO 9241 recomenda temperatura entre 20º e 24ºC no verão e 23 a 26ºC no inverno, com umidade relativa entre 40% e 80% e velocidade máxima do ar a 0,75 m/s.

A empresa não tem como controlar a temperatura em todos os ambientes do escritório, então a dica é contar com a colaboração dos funcionários. Que tal colocar um papel com estas recomendações próximo ao aparelho de ar-condicionado ou ao controle? Assim, cada um que for mexer no equipamento fica sabendo das orientações. Se tiver pessoas que não gostam do ar e outras que preferem o ambiente mais fresco, é possível também remanejar os colaboradores e deixar os que não gostam mais longe do vento gelado.

O funcionário também pode usar roupas leves e claras, se hidratar muito e usar protetor solar, mesmo em locais fechados. O descuido com o calor pode prejudicar demais a saúde. Segundo o médico Rui Bocchino Macedo, clínico geral da Paraná Clínicas, “o calor aumenta o gasto de energia consumido pelo corpo. Assim, quando ficamos expostos a temperaturas mais altas, ocorrem mais comumente sintomas como cansaço, sono e fadiga. Quando o organismo sofre com a alta temperatura, ele tenta economizar energia e, ainda, pode aumentar a sudorese. No suor estão contidos elementos como sódio, potássio, entre outros. O aumento na sudorese faz com que haja a perda desses eletrólitos, o que pode gerar outros problemas, como câimbra e fraqueza.”